26 setembro 2006

O bacalhau

Na temporada do último campeonato nacional conquistado, o Benfica teve no início da época um americano chamado James Havrilla que embora fosse bom tecnicamente era muito mole. Passados uns meses, esse jogador foi substituído por um norueguês.
O Tor Brynn deve ter sido o primeiro nórdico a jogar em Portugal e foi o jogador perfeito para colmatar as necessidades que a equipa tinha nessa época. Grande defensor, grande ressaltador, não queria protagonismo e marcava os seus pontos. Em suma, sabia qual era o seu papel e desempenhou-o na perfeição. Uma espécie de Mike Plowden, mais alto, mais forte, mais rude, menos ágil, menos tecnicista.
Recordo-me que nos seus primeiros treinos, os colegas estavam admirados com a dureza do Bacalhau. Não pela agressividade mas pela dureza mesmo. Foi o primeiro jogador que ao levar uma palmada na mão aleijava quem lhe tinha tocado. As mãos pareciam feitas de pedra.
Esta foto é do 5ºjogo da final contra o Porto. Podemos ver, para além do norueguês, o Luís Silva, o Pedro Miguel e o Carlos Lisboa. O pavilhão estava completamente cheio e, como se pode ver pela publicidade, o jogo foi transmitido pela televisão.



p.s. Andei pelo site da Liga e dei com a lista de MVPs. É a falência das estatísticas! O prémio foi instituído em 1990-91. Nessas 5 primeiras épocas em que o Benfica ganhou os 5 campeonatos (para além das prestações europeias, taças de Portugal, Taças da Liga e Supertaças), nunca um jogador do Benfica venceu o prémio.
Que fique claro, este é o tipo de prémio que deve ser atribuído em função de uma votação, preferencialmente pelos treinadores e jogadores!

9 comentários:

alves disse...

O homem era um colosso.

O tronco dele parecia um guarda-fato e dos maiores

:)

Anónimo disse...

Foi a meu ver das poucas aquisições para Poste que realmente deu rendimento. Foi uma das lacunas da equipa. Não haver um substituto natural para Mike Plowden. Tentaram-se tantos jogadores (acho que o melhor foi um Carl Amos ainda no tempo do Tim Shea) mas de resto eram todos desculpem a expressão uns cepos...
O melhor para mim curiosamente foi em 96 que perdemos o titulo o Mikel Nahar (se não estou em erro que veio do Queluz). Tinha qualidade técnica, resaltava bem, lançava razoavelmente. Faltava-lhe era atitude (amedontava-se a quem lhe fazia frente), ou seja não jogava á Benfica como os seus companheiros.

P.S- Ainda sobre o Nahar era estranho pois estava sempre a perder as lentes de contacto durante o jogo

O GLORIOSO

Paulo Ramos disse...

Só para que conste, o Brynn tinha vindo ou terminou essa época no Estudiantes de Madrid, como 3º estrangeiro, numa época em que a ACB introduziu um 3º estrangeiro que não podia competir na Europa mas sim internamente.
O Nahar posteriormente ingressou no Aris de Salónica, com prestações bem interessantes. Penso que ele, para além de mole, acusava muito a pressão de ter de ser um jogador referência no jogo interior benfiquista, o que depois lhe foi aliviado em Salónica.
Desculpem os comentários anteriores, nao sei o que se passou...

Paulo Ramos disse...

Thanks Pelicano, por limpares aquela trapalhada toda.

Anónimo disse...

E para quem lá esteve, certamente se lembraram deste senhor terminar um contra-ataque com um Tomhawk

Glorioso11385 disse...

O melhor americano destes anos era o John Flowers, que iniciou a época de 1989/90. Era fortíssimo, um poste verdadeiramente imponente. Só que tinha um problema: gostava de copos. Depois de aparecer bêbedo em alguns treinos, acabou por ser dispensado. Foi pena. Penso que acabámos essa época com o Carl Amos.
Lembram-se do Eldridge Hudson? Logo no primeiro jogo que fez, em Albufeira, marcou três ou quatro 'triplos', que se revelou ser a sua especialidade. Muito gostava ele de dar umas palmadas no chão, a mostrar a sua felicidade!
Pelicano, a questão do MVP é relativamente simples: o Benfica tinha vários jogadores muito bons. Não havia um que brilhasse tanto como alguns americanos de outras equipas, que marcavam sempre bem mais de 20 pontos e ganhavam muitos ressaltos.

Pelicano disse...

Já nem me lembrava do El... que figura!!!

Por isso mesmo acho que deveria ser por votação e não com base em estatísticas.

Hugo disse...

E já agora na foto, está também o Gary Trost, que depois veio a jogar pelo Glorioso.

Por falar em partir 8mãos, num jogo em Almada com o Estrelas, levou um autentico golpe de Karaté na sua e ficou com ela partida. Não obstante, voltou a jogar pouquissimo tempo depois.

ClearedForTakeOff disse...

o "jimy érvila" dizia o prof j coutinho estava mal fisicamente, psico e tecnicamnete. Jogou há poucos anos na PT.
O bryn, esteve no Estudiantes antes.